14 de jul. de 2020

As Instituições de Saúde Porto-Alegrenses: 
sua História e realidade

Beneficência Portuguesa de Porto Alegre

Fernanda Sayão Lobato Teixeira

Em tempos de crise na saúde mundial, é extremamente importante ressaltar a importância dos serviços de saúde, como hospitais, clínicas, prontos-socorros, unidades básicas, e principalmente, não só as instituições, mas diretamente os profissionais que nelas exercem o seu trabalho, assim tornando as instituições que são, pela sua dedicação e esforço em poder salvar vidas, além de mostrar suas realidades perante esta área.
Uma das instituições que iremos se aprofundar em seu histórico, é o hospital Beneficência Portuguesa de Porto Alegre, ou originalmente Sociedade Beneficente e Hospitalar da Colônia Portuguesa de Porto Alegre, fundado em 26 de fevereiro de 1854 pelo vice-cônsul de Portugal, Antonio Maria do Amaral Ribeiro e membros da elite portuguesa que permaneceram com suas famílias em terras gaúchas após a chegada da comitiva a colônia, assim mantendo fortemente a colônia mesmo pós-independência. Devido ao estreito laço dos portugueses com a caridade e a forte influência da igreja católica, não apenas em Porto Alegre, mas em todas as capitanias do país foram criados esses hospitais, ou chamadas na época como Misericórdias, para atendimentos de necessidades de cuidados da comunidade imigrante portuguesa e seus descendentes. Estas instituições foram inspiradas em hospitais construídos em Portugal, como o pioneiro Hospital de Jerusalém, em Évora, no período do reinado do rei D. Afonso Henriques, conhecido como ‘’O Conquistador’’.   
Anterior à fundação da mesma, após entregar o pedido de criação de um hospital português ao então vice-presidente da província, José Gomes de Vasconcelos Jardim, havia terminado a guerra civil Farroupilha com a vitória dos farrapos sobre o Partido Restaurador, composto em sua maioria por portugueses. Devido a isto, o vice-presidente recusou o pedido temporariamente, mesmo o projeto sendo bem recebido. Todavia, se aceito, seria um tanto suspeita a iniciativa.
Segundo Oliveira e Moreira (2010, p. 2) em 1854, com a morte da rainha de Portugal D. Maria II, a comunidade portuguesa de Porto Alegre se viu diante de uma enorme tristeza com o falecimento da monarca, e aproveitando o momento, com o auxilio da imprensa, se retomou a ideia de criação de um hospital para auxiliar esta comunidade e suas gerações futuras, assim sendo criada em 1854.
Inicialmente a instituição não havia uma sede própria, porém já contava com cerca de 550 integrantes, com um fundo de com um fundo de 5:920$680 réis. Desta forma, foi firmado um acordo entre os responsáveis pela futura construção do hospital e a Santa Casa de Misericórdia, para assim iniciar aos poucos as atividades médicas. Com a quantia de fundo arrecado pelos associados, em 28 de maio de 1858 foi comprada uma casa na antiga Rua da Figueira, atual Coronel Genuíno, no centro histórico.
Com o surto de cólera em 1867, quando diversos pacientes foram salvos no ambulatório original, a ideia de uma sede maior tomou conta. 
Os associados iniciaram a construção definitiva do hospital em um terreno localizado no Caminho da Aldeia, atual Avenida Independência. As primeiras obras se iniciaram em 29 de junho de 1867. Com o auxilio de doações, eventos e leilões, o prédio foi inaugurado em 29 de junho de 1870.


Sede oficial do hospital no século XIX.  


Antigo Salão Nobre do prédio histórico, com quadros de todos os sócios. 

No inicio de 1871, foi feita a primeira capela da instituição, sendo instalado seu primeiro capelão, o Padre Joaquim Cirilo da Cunha.
Em 1873, a cidade enfrentava uma enorme enchente, desabrigando os moradores da margem do Guaíba. Em 8 de outubro do mesmo ano, a Câmara dos Vereadores de Porto Alegre recebe o oficio do 1° Secretário da Sociedade Portuguesa de Beneficência pondo a disposição todas as áreas vazias do hospital e oferecendo alimentos as família desabrigadas. (Catálogo das Atas da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, 1866-1875). Assim, quebrando o costume do hospital de atender apenas portugueses e descendentes, e agora atendendo todos os públicos. 

Após a mudança para sua nova sede, a Beneficência Portuguesa mostrou ampliar sua presença na sociedade porto-alegrense. Em 1884, participou do movimento local de emancipação de escravos contribuindo com a doação de cartas de alforria. Houve um expressivo aumento de atendimentos e associados, além do aumento de várias formas de doações. Foram feitas melhorias nas instalações em 1892, sendo criadas salas para consultórios na parte térrea do prédio, salas maternais, como também uma farmácia e dois anos depois, foi aparelhada a sala de cirurgia.

Sala maternidade do hospital no século XIX.

Do século XX até os dias atuais, a Sociedade tivera uma grande evolução, com a instalação de um Gabinete de Radiologia, participando de eventos como o IV Congresso Sul-Americano de Neurocirurgia, que foi um marco na vida médica e científica de Porto Alegre, além de adquirir uma extensa área de terra em Gravataí, para a criação do Retiro da Velhice. Além disso, em 1996, seu regulamento foi reformulado para se adequar ao Sistema Único de Saúde (SUS).
Apesar das dificuldades que o hospital se viu diante, já no século XXI, em 2003 o hospital foi destacado com o segundo lugar em bom atendimento no estado. Porem, em 2007, pelo INSS teve sua execução decretada, devendo passar por um leilão, mas o processo foi revertido judicialmente. Infelizmente sua condição não é a das melhores, com uma dívida de cerca de 18 milhões de reais e sofrendo com a falta de repasses de verbas estatais.

Referências:
Beneficência Hospitais. Disponível em: http://www.beneficenciars.org.br/institucional-historia


CHAVES, Larissa Patrón. AS SOCIEDADES PORTUGUESAS DE BENEFICÊNCIA DO RIO GRANDE DO SUL - REPRESENTAÇÕES E ALTERIDADE. 2004. Disponível em: http://cdn.fee.tche.br/jornadas/2/H1-04.pdf

OLIVEIRA, Daniel; MOREIRA, Paulo Roberto Staudl. SAÚDE, CURA E ASSOCIATIVISMO O ACERVO DA SOCIEDADE E HOSPITAL BENEFICÊNCIA PORTUGUESA DE PORTO ALEGRE.  X Encontro Estadual de História, AHPURS. Julho de 2010, Santa Maria –RS. Disponível em: http://www.eeh2010.anpuh-rs.org.br/resources/anais/9/1279056421_ARQUIVO_saude_cura_acervo_ANPUH.pdf

OLIVEIRA, Clóvis Silveira de. Porto Alegre - A Cidade e sua Formação. Porto Alegre: Editora Gráfica Metrópole S. A., 1993, pgs. 244 a 250

Porto Alegre. Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal da Cultura,  Arquivo Histórico Moysés Velhinho - Catálogo das Atas da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, 1866-1875; v. XI. Porto Alegre, UE/Secretaria Municipal da Cultura, 2001. 295p.
Wikipédia. Beneficência Portuguesa de Porto Alegre. Setembro de 2009.  Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Benefic%C3%AAncia_Portuguesa_de_Porto_Alegre



0 comentários:

Postar um comentário

 

© 2009AHPAMV | by TNB