19 de jun de 2013

OS DOCUMENTOS DIGITAIS EM DEBATE

                 
  


       Na semana do dia 04 a 06 de Junho de 2013, a Associação dos Arquivistas Brasileiros reuniu cento e cinquenta participantes, na cidade do Rio de Janeiro, na Fundação Casa de Ruy Barbosa,  para o evento -  5º encontro de Bases de Dados sobre informações arquivísticas com a titulação: Diferentes olhares sobre os arquivos online: digitalização, memória e acesso.

            Encontro este, onde seis conferencistas renomados de várias partes do Mundo para palestrarem a respeito do tema, e vinte comunicações livres onde profissionais da Arquivologia, Biblioteconomia, Ciências da Computação, Historiadores, e áreas afins puderam expor seus projetos, estudos de caso e contribuições relacionados ao assunto em questão.

            As palestras com conteúdos riquíssimos, onde os pontos em comum foram a preservação da memória, do documento, digitalização, documento digital, a preservação digital, a obsolescência das mídias, e a disseminação da informação, softwares mais indicados, entre outros.

            Durante os debates algumas questões relevantes foram abordadas, tais como:

* A importância do patrimônio cultural, a conscientização de uma sociedade.
* Tipos de softwares, qual o mais adequado?
* O quê digitalizar primeiro, quais os critérios a serem utilizados?
* Migrações das informações, como migrar dados do sistema de Software Winisis para o ICA-AtoM?
* dificuldade de entendimento das diferentes linguagens entre os profissionais da TI e  demais áreas;
* Lei de Acesso à informação;

            Entre tantas perguntas feitas nos debates, esta com certeza, nos leva a refletir sobre o futuro das instituições arquivísticas e seus acervos:

    "Se com a digitalização dos acervos e disponibilização na web, as instituições arquivísticas e seus profissionais passariam a ter a função de guardadores de documentos antigos, uma vez que com a facilidade do acesso a informação, as pessoas não precisariam mais se deslocar até as instituições para pesquisa?"
 O que fazer para modificarmos este olhar?

  
As informações referentes ao 5º encontro de base de dados podem ser acessadas no site:







18 de jun de 2013

PESQUISA NOS SÁBADOS



                   

                             Prezados(as) pesquisadores(as)

       No próximo sábado, dia 22 de junho,se houver agendamento, o Arquivo abrirá para pesquisa.

  Horário: 9h às 13h

    Indispensável confirmar presença até quinta, às 17 horas.


12 de jun de 2013

O Correto Manuseio de Documentos



            Hoje iremos destacar a importância do correto manuseio dos documentos através de algumas dicas e recomendações. Por manuseio entendemos como os procedimentos que envolvem o contato com os documentos, desde o tratamento técnico realizado pelos funcionários até mesmo a forma como os usuários realizam suas pesquisas com a documentação.
            O manuseio inadequado possui efeito direto sobre a longevidade dos documentos, sendo que inúmeras vezes o descuido de manusear poderá gerar perdas irreparáveis. Assim, a consciência de zelar possui um custo relativamente baixo ou,na maioria das vezes, nem custo possui, necessitando apenas da sensibilização dos usuários de arquivos.
            Portanto, logo abaixo apresentamos algumas dicas e recomendações do correto manuseio a fim de que todos nós juntos possamos contribuir para a preservação dos nossos acervos.


Colabore....
- Ao manusear os documentos, verifique se suas mãos estão limpas, pois qualquer tipo de sujeira ou gordura poderá ficar no papel e poderemos ter um início de deterioração.





- Recomendamos a utilização de luvas ao manusear documentos, especialmente os históricos; e conforme o seu estado de conservação, deverá ser utilizado também outros equipamentos de proteção individual (EPI’s) a fim de protegermos a saúde das pessoas assim como a integridade dos acervos.

- Não apoie os cotovelos sobre os documentos  pois,muitas vezes,estes já se encontram muito frágeis, e qualquer peso poderá danificá-lo ainda mais. Esse cuidado também envolve encadernações com a lombada comprometida, sendo que o apoio poderá romper a costura ou cola da lombada.




- Não fumar, comer e beber em locais com documentos; pois muitas vezes ficarão restos de comida que poderão atrair insetos e roedores, assim como existe o risco de ocorrer algum acidente com líquidos que poderão molhar os documentos.



- Não utilize a saliva para folhear os documentos/livros pois além de ser prejudicial para a sua saúde, isso favorece o desenvolvimento de microorganismos nos documentos.

- Um dos modos de reprodução de documentos é a utilização de máquina fotográfica, entretanto, o flash deve estar desligado.




- Ao manusear os documentos, evite a incidência da luz solar sobre a documentação, pois o sol acelera o envelhecimento do papel.







Bibliografia:

Ogden, S. Armazenagem e manuseio. Projeto Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos. Rio de Janeiro, 2001.

Conselho Nacional de Arquivos. Recomendações para a produção e o armazenamento de documentos de arquivo. Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/Media/publicacoes/recomendaes_para_a_produo.pdf . Acesso em: 22 maio 2013.

10 de jun de 2013

9 de junho: Dia Internacional dos Arquivos


            Durante uma Assembléia Geral do Conselho Internacional de Arquivos (CIA) realizada em 2007 em Quebec,foi instituído o Dia Internacional dos Arquivos.
            Essa comemoração ocorre todo ano, sendo que a escolha dessa data foi uma forma de homenagear o dia 9 de junho de 1948, quando foi criado o Conselho Internacional de Arquivos (CIA) pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).
            O Dia Internacional de Arquivos foi criado com o objetivo de proporcionar condições para que,em todo o mundo, diversas ações possam ser desenvolvidas para a promoção e divulgação da causa dos arquivos.
            Portanto, aproveitamos para refletir sobre a realidade dos arquivos, pois ainda hoje verificamos muitas lacunas e carências. Entretanto, também reconhecemos que já existiram inúmeros avanços e,nesse sentido, o Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho cumprimenta todas instituições e profissionais atuantes na área de arquivos pela incansável missão de preservar e viabilizar o acesso aos nossos acervos arquivísticos. Parabéns!



Fonte:


6 de jun de 2013

REPRESENTANTE DO AHPAMV PARTICIPA DE EVENTOS SOBRE PATRIMÔNIO CULTURAL E NATURAL

   

"Dos ofícios de Clio IV: educação para o patrimônio”.


     
      O Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho participou nesta semana do seminárioDos ofícios de Clio IV: educação para o patrimônio”. É evento anual promovido pelo GT Acervos: Memória, História e patrimônio – Associação Nacional de História, Seção Rio Grande do Sul.  Na ocasião, foi proferida palestra  pela Técnica em Cultura Rosane Maria Fluck no painel  Experiências em educação para o patrimônio.

      Neste encontro, foram apresentadas as ações educativas do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho, do Museu Bruno Segalla de Caxias de Sul e do Museu da UFRGS. Foi possível discutir  os princípios metodológicos que orientam as atividades com público escolar, a forma de criação dos projetos, o financiamento e o gerenciamento destas ações bem como a capacitação de novos profissionais na área do patrimônio.
As atividades destas 3 instituições apresentam inúmeros pontos em comum mostrando que as ações para o patrimônio hoje desenvolvidas nos espaços culturais mais diversos  são experiências  nas quais a memória, a história, o patrimônio locais são elementos fundamentais à cidadania.


                 OFICINA DE EDUCAÇÃO   AMBIENTAL NO 

MORRO DO OSSO

              

     No dia em que se comemora o meio ambiente, o Parque Natural do Morro do Osso realizou uma oficina de Educação Ambiental para professores da rede pública de Porto Alegre. A formação teve na parte da manhã 3 palestras:
“Unidades de conservação” proferida pela Ma.Maria Carmem Bastos
“Educação Ambiental e o Parque Natural do Morro do Osso” – Biólogo Heleno C. Quintana
“Educação Patrimonial: um processo ensino-aprendizagem para o patrimônio natural” – Socióloga Rosane Maria Fluck.
      
     O encontro permitiu também um trabalho prático com os professores  para  a construção de atividades de Educação Ambiental que possam ser desenvolvidas com os alunos.

               A  formação, que está na sua segunda edição, visa capacitar os educadores para uso do Parque como um espaço privilegiado de Educação Ambiental, pois este é patrimônio da cidade de Porto Alegre onde a biodiversidade está preservada..
 

© 2009AHPAMV | by TNB