22 de dez de 2011

Mensagem de fim de ano

14 de dez de 2011

PRIMEIRO RESULTADO DO SIARQ/POA

 

Foi publicado no Diário Oficial do dia 01/12/2011 o primeiro resultado da implantação do Sistema de Arquivos do Município – SIARQ/POA, ou seja, o DECRETO Nº 17.480, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2011, que "Estabelece o Plano de Classificação de Documentos (PCD) e a Tabela de Temporalidade de Documentos (TTD), da Administração Centralizada, do Executivo Municipal de Porto Alegre, em consonância com o Decreto nº 16.798, de 21 de setembro de 2010, define normas para a classificação, avaliação, guarda e eliminação de documentos de arquivo, e revoga o Decreto nº 9.048, de 8 de dezembro de 1987."



Texto integral - Portal da Prefeitura de Porto AlegreDiário Oficial 01/12/2011




Rosani Feron

Diretora Arquivo Histórico de POA

(51)32197900

Programa de Educação Patrimonial do AHPAMV


Gostaríamos de, no momento em que o ano finda, agradecer a todos que aqui estiveram compartilhando experiências, trocando afetos e partilhando saberes. Fazemos isto nomeando as instituições e, através delas, reconhecendo muito especialmente cada pessoa que participou das atividades do Programa de Educação Patrimonial.




EE Souza Lobo
EMEF Lidovino Fanton
Colégio La Salle Santo Antonio
EEEF Mauricio Sirotsky Sobrinho
Centro Comunitário Jardim Renascença
EEEF Profª Maria Thereza da Silveira
Colégio Estadual Francisco Antonio Vieira Caldas Junior
EEEF Alcebíades Azevedo dos Santos
EMEB Santos Dumont
EMEF João Antonio Satte
EMEF Profª. Ana Íris do Amaral
Colégio Farroupilha
Faculdade Porto-alegrense – FAPA
Instituto de Educação Flores da Cunha
EMEF Carlos Pessoa de Brum
EMEF Vila Monte Cristo
EMEF Grande Oriente
Instituição Criança Feliz
EMEF Ver. Antonio Giúdice
EMEM Emilio Meyer
EMEF José Maria Beck
Colégio Nossa Senhora da Glória
UNIVATES
PUC/RS
EE Gema Angelina Bellia
Faculdades Integradas de Taquara
UFRGS
UFPEL
Centro Universitário Metodista – IPA
Pró – jovem trabalhador/ Prefeitura
FAEPSUL
ULBRA
UFSCPA
Associação dos Moradores Ruben Berta – AMORB
Escola Técnica Cristo Redentor
IFRS –POA
Colégio Conhecer
EE Rubem Dario
EMEF Vila Lobos
EMEF Nossa Senhora de Fátima
EMEF Dolores Alcaraz Caldas
EMEF Décio Martins Costa
EMEF Porto Alegre
EMEF Prof. Anísio Teixeira
EMEF Leocádia Felizardo Prestes
EMEF Mauricio Goulart Loureiro
EMEI Mamãe Coruja
EMEF São Pedro
EMEF Afonso Guerreiro Lima
EMEF Presidente Vargas
EMEF Alberto Pasqualini
Museu Júlio de Castilhos
Arquivo Público do Rio Grande Do Sul
EMEF Rincão
EMEF Pepita de Leão
Bibliotecas SMED
EMEF Jardim M. de Araújo
EMEF Aramy Silva
EMEF Neuza Brizola
EMEF América
EMEF Campos do Cristal
EMEF Jean Piaget
EMEF Chapéu do Sol
EMEF Saint’ Laire
CMET Paulo Freire




A   TODOS(AS) , MUITO OBRIGADA!

6 de dez de 2011

A IMPRENSA ALTERNATIVA NOS ANOS DE CHUMBO

 
-->
               
Coojornal (1975-1982), agora em livro

 



"...percebe-se  o  perfil heterogêneo
dos jornalistas cooperativados,
unidos  na luta por democracia."

    
    
      
     Nos  sombrios anos setenta, uma cooperativa de jornalistas fundou em  Porto Alegre  o Coojornal, editado para dar voz a quem não tinha e revelar a  realidade  oculta pela censura. Nesse  espaço democrático construído pelo jornal num  período histórico de  repressão política, foram publicadas reportagens, entrevistas e charges nas 78 edições, em sete anos de existência.
    
    Em 2011, quase trinta anos depois, surgiu, de um grupo egresso da extinta Cooperativa, a  ideia  de reunir  em livro uma seleção de reportagens representativas da época, para facilitar o acesso ao conhecimento  daquele período histórico. O suporte livro favorece a  ampla circulação de parte significativa   do conteúdo do jornal e a permanência das informações. Um documentário em cd com relatos  de alguns desses jornalistas sobre a experiência de um jornal comandado pelos próprios jornalistas acompanha a publicação.
       
   Pela lista de   associados (pg. 24), percebe-se  o  perfil heterogêneo dos jornalistas cooperativados, unidos  na luta por democracia. A conjuntura mudou e, atualmente, muitos deles estão em campos políticos diferentes (e até opostos), separados por seus vieses ideológicos. Alguns nomes conhecidos: Alberto André, Alice Urbim, Sérgio Caparelli, Lauro Quadros,Ana Amélia Lemos, Adroaldo Correa,Luiz Eduardo Achutti,Luiz Fernando Veríssimo e Rafael Guimaraens(um dos organizadores do livro).

  Os  temas são bem abrangentes: a ecologia sob a ótica de  Lutzenberger; a música,em entrevistas com o censurado Chico Buarque e também com  Elis Regina, Caetano Veloso e Teixeirinha, a repressão política,a lista de cassados, a Guerrilha do Araguaia, a  revolução na Nicarágua, Jango, Getúlio Vargas, as greves no ABC paulista e o sequestro dos uruguaios Lilian Celiberti  e Universindo Diaz, revelando a política  de colaboração entre as ditaduras do  Cone Sul. Formando o necessário contraponto, encontramos, na página 256, o humor de Luiz Fernando Veríssimo numa entrevista fictícia com o personagem  analista de Bagé, defensor da “terapia do joelhaço”. 

 O livro  já está  na estante  do acervo bibliográfico do Arquivo Histórico,enriquecendo a coleção do Coojornal(1977-1982) existente na hemeroteca(acervo de jornais e revistas).



cooJORNAL- um jornal de jornalistas  sob o regime militar
Organizado por Rafael Guimaraens,Ayrton Centeno e Elmar Bones
Editado pela Libretos,em Porto Alegre,2011.
  

     

        
     
   








      

5 de dez de 2011

ATENÇÃO, PESQUISA NO SÁBADO




Caros(as) Pesquisadores(as)
 



 Conforme nosso cronograma  de atendimento ao

pesquisador nos sábados, abriremos o AHPAMV 

no  sábado,dia 10 de dezembro,exclusivamente 

por agendamento (até quinta,às 17 horas)


Contatos::  32898282  

atendimentoah@smc.prefpoa.com.br



2 de dez de 2011

Um vereador operário

Sérgio da Costa Franco                           

               Quando se escuta a ladainha dos candidatos a vereador nas próximas eleições, pode-se ver que aparecem no elenco pessoas de todos os ofícios e de todas as camadas sociais, inclusive das mais humildes. É bom que assim seja, pois a Câmara se tornará, dessa maneira, perfeitamente representativa. Só é pena que algumas delas careçam, às vezes, de um básico preparo para enfrentar as tarefas do cargo, o que as faz prisioneiras de assessores ou de espíritos-santos de orelha que não receberam a unção da escolha popular nas urnas.
            A paixão da História me fez emendar esse assunto com o momento em que subiu ao Conselho Municipal de Porto Alegre o primeiro representante da classe operária. Isso foi em 1912, precisamente há setenta anos. O Partido Republicano, que era, na prática, o partido único do Estado, pois os federalistas estavam afastados das urnas e não disputavam os fraudulentos pleitos, incluiu, aquele ano, em sua nominata de candidatos a conselheiro municipal, o operário gráfico do Correio do Povo, Francisco Xavier da Costa. Era este, até então, uma liderança operária autêntica, ex-presidente da Federação Operária, organizador de sindicatos e grêmios de trabalhadores, líder de movimentos grevistas. Mas não se tratava de um apedeuta. Era um gráfico esclarecido, cujos artigos não raro apareciam nas colunas do Correio do Povo. E Francisco Xavier da Costa conseguiu marcar positivamente a sua presença no modorrento Conselho Municipal, onde até então só vinham funcionando representantes das chamadas classes conservadoras.
            Percorrendo-se os anais daquele Conselho, se verá que Xavier da Costa soube assumir posições corajosas e independentes, ficando, por isso mesmo, vencido em muitas votações. Foi o primeiro que sustentou a conveniência de criar-se um imposto sobre os automóveis. Pediu redução de imposto predial em favor de quem edificasse casas novas e de boa qualidade para moradia barata. Propôs a criação de bonde para operários, com 50 por cento de abatimento nas passagens. Combateu os cortiços e as “avenidas” de cubículos, que eram locados a trabalhadores. Defendeu subvenções a um Ateneu Operário que se achava em construção. Em síntese, marcou um momento de renovação na vereança da Capital.


Caricatura de Francisco Xavier da Costa - possível autoria: A.N.
Acervo Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho - AHPAMV


              Esta Crônica, gentilmente cedida pelo hstoriador e jornalista Sérgio da Costa Franco, parte do livro A velha Porto Alegre (2008, p. 202) e originalmente publicada no Jornal Correio do Povo de 30-9-1982,  lembra à comunidade porto-alegrense a importância de Francisco Xavier da Costa. Amanhã, dia três de dezembro, é dia do seu nascimento; entregamos hoje aos pesquisadores, o Catálogo do Fundo Privado Francisco Xavier da Costa, instrumento de pesquisa referente ao acervo e que nos aproxima um pouco da vida e obra do sempre “Operário Vereador”.
             A Crônica Um vereador operário é um dos documentos acumulados pela família  Xavier da Costa e que compõem o acervo, organizado pela sua filha Anita e doado ao AHPAMV em janeiro de 2003.  
 
 

© 2009AHPAMV | by TNB