31 de jul de 2013

Documentos digitais: conceito e preservação


A preservação de documentos tem ultrapassado os limites do suporte papel e um dos grandes desafios para as instituições tem sido reconhecer e implementar programas de preservação de documentos arquivísticos que contemplem tanto os documentos convencionais (suporte papel, por exemplo) quanto os digitais.

 

Você sabia?

Do ponto de vista tecnológico existe uma diferença entre documento eletrônico e digital, fique por dentro:

Um documento eletrônico é acessível e interpretável por meio de um equipamento eletrônico (aparelho de videocassete, filmadora, computador), podendo ser registrado e codificado em forma analógica ou em dígitos binários. Por sua vez, o documento digital é um documento eletrônico caracterizado pela codificação em dígitos binários e acessado por meio de sistema computacional. Assim, todo documento digital é eletrônico, mas nem todo documento eletrônico é digital.

 

Exemplos de documentos eletrônicos: filme em VHS, música em fita cassete.


Exemplos de documentos digitais: texto em pdf, planilha de cálculo em Microsoft Excel, áudio em MP3, entre outros.

 

 
 

Portanto a preservação digital trata-se do conjunto de estratégias e metodologias destinadas a preservar os documentos em formato digital. Ela pode implicar desde transferências periódicas dos suportes de armazenamento até a conversão para outros formatos digitais, bem como a atualização do ambiente tecnológico, o hardware e software.

A degradação do suporte e a obsolescência tecnológica são os principais fatores de comprometimento da preservação dos documentos digitais, uma vez que ameaçam sua autenticidade, integridade e acessibilidade.

 

Algumas técnicas de preservação digital: emulação, encapsulamento, migração e preservação da tecnologia.

 

Saiba mais:

 

 

Consulte “e-ARQ Brasil” www.documentoseletronicos.arquivonacional.gov.br  (Link “publicações”)

 

 

Consulte “Carta para a preservação do patrimônio arquivístico digital”


 
 

Fonte:

Informações coletadas na página da Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. Disponível em: http://www.documentoseletronicos.arquivonacional.gov.br . Acesso em 20 junho 2013.

 

Conselho Nacional de Arquivos. Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. Modelo de requisitos para sistemas informatizados de gestão arquivística de documentos: e-ARQ. Rio de Janeiro, 2011.

 

 

24 de jul de 2013

RESOLUÇÃO Nº 38, DE 9 DE JULHO DE 2013


            A notícia desta semana é relacionada a Arquivologia, a Resolução nº 38, de 9 de Julho de 2013, elaborada pelo CONARQ - Conselho Nacional de Arquivos.  Que dispõe sobre a adoção das "Diretrizes do Produtor - A Elaboração e a Manutenção de Materiais Digitais: Diretrizes Para Indivíduos" e "Diretrizes do Preservador - A Preservação de Documentos Arquivísticos digitais: Diretrizes para Organizações"

Ministério da Justiça
Arquivo Nacional
Conselho Nacional de Arquivos


RESOLUÇÃO Nº 38, DE 9 DE JULHO DE 2013


          O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS - CONARQ, no uso de suas atribuições, previstas no item IX do art. 23 de seu Regimento Interno, aprovado pela Portaria nº 2.588, do Ministério da Justiça, de 24 de novembro de 2011, em conformidade com a deliberação do Plenário em sua 69ª reunião plenária do CONARQ, realizada no dia 25 de junho de 2013,

          Considerando que o Conselho Nacional de Arquivos tem por finalidade definir a política nacional de arquivos públicos e privados e exercer orientação normativa visando à gestão documental e à proteção especial aos documentos de arquivo, independentemente da forma ou do suporte em que a informação está registrada;

           Considerando que os documentos arquivísticos digitais podem se apresentar na forma de texto, imagem fixa ou em movimento, áudio, base de dados, planilha e outras num repertório crescente de possibilidades;

          Considerando que os documentos digitais são suscetíveis à alteração, lícita ou ilícita, à degradação física e à obsolescência tecnológica de hardware, software e formatos, as quais podem colocar em risco sua autenticidade;

          Considerando que a gestão arquivística de documentos, independentemente da forma ou do suporte adotados, tem por objetivo garantir a produção, a manutenção e a preservação de documentos arquivísticos;

         Considerando propiciar a produção, o acesso e a preservação dos documentos digitais arquivísticos por meio de padrões técnicos e metodologia adequados.


         RESOLVE:

         Art. 1º Recomendar aos órgãos e entidades integrantes do Sistema Nacional de Arquivos - SINAR, a adoção das Diretrizes do Produtor - A Elaboração e a Manutenção de Materiais Digitais: Diretrizes Para Indivíduos e Diretrizes do Preservador - A Preservação de Documentos Arquivísticos digitais: Diretrizes para Organizações, publicadas no âmbito do Projeto The International Research on Permanent Authentic Records in Electronic Systems InterPARES, da Universidade de British Columbia, Canadá, em acordo técnico com o Arquivo Nacional, visando ao aperfeiçoamento da gestão e preservação dos documentos de arquivo em formato digital.

          Parágrafo único. As referidas diretrizes estão disponibilizadas no sítio do CONARQ.

          Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

JAIME ANTUNES DA SILVA



 
 

 

18 de jul de 2013

O MERCADO PÚBLICO


   

    A postagem desta semana é sobre o incêndio do Mercado Público de Porto Alegre ocorrido no sábado, dia 06 deste mês de julho. Fato que, infelizmente, ocorreu outras três vezes no transcorrer da já centenária história do nosso Mercado: Em 05/07/1912, o primeiro, em 29/12/1973 o segundo e,em 15/07/1979, o terceiro. Importante informar que o Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho possui alguns documentos referentes ao Mercado, assim como a documentação referente ao seu memorial que funcionou no período de 1999 a 2010,no local onde hoje se encontrava o atual “Observatório de Cultura”.
   
   A seguir,divulgamos aos nossos leitores as fotos das reportagens dos jornais A Federação e as do Correio do Povo sobre estes outros episódios.































17 de jul de 2013

CRONOGRAMA DE ATENDIMENTO NOS SÁBADOS



      Prezados(as) leitores(as)


     
       O agendamento dos sábados  fica assim modificado:
 não haverá  agendamento para os  próximos  sábados,por motivo de obras de manutenção do prédio do Arquivo Histórico de Porto Alegre  Moysés Vellinho.O cronograma do segundo semestre  de atendimento nos sábados será  divulgado na primeira semana de agosto.


   Equipe do AHPAMV
     
            

12 de jul de 2013

UM SONHO DE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

       
     

   Velho sonho de Carlos Drummond de Andrade, o Arquivo-Museu de Literatura Brasileira  torna-se realidade em 1972, comprovando a relação  da  arte literária com a memória cultural,através da preservação de objetos e documentos pertencentes a escritores brasileiros.       






         É na Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro, que funciona esse Arquivo-Museu. É lá que podemos encontrar  o poema inédito de Machado de Assis “Os pássaros” ,os originais do romance Til,de José de Alencar, e alguns manuscritos  de Vinicius de Moraes. Na parte museológica,  podemos conhecer os quadros pintados por Clarice Lispector,uma poltrona e uma mesa de jantar pertencentes a Manuel Bandeira,canetas,medalhas,lembranças de viagens,esculturas, caixas de música e outros objetos, totalizando 1.200 peças pertencentes a escritores brasileiros.

                       
        Antônio Carlos Vilaça assim descreve o Arquivo-Museu:

                       Trata-se de uma instituição viva,dinâmica,disposta
                  a prestar serviço à comunidade.Não é uma torre de
                  marfim,um hortus conclusus,um lugar fechado,uma
                  capelinha esotérica,mas pelo contrário, um ponto de
                 convergência,um lugar de convívio, uma casa voltada
                 ao mesmo tempo para o passado e para o futuro, aberta,
                 disposta a dar, e não só a receber.



 








O Arquivo-Museu de Literatura Brasileira- Um sonho drummondiano. Edições Casa de Rui Barbosa-2002
   Este guia do Arquivo-Museu da Literatura Brasileira  está  à disposição, na estante do acervo bibliográfico do Arquivo  Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho


   
         


4 de jul de 2013

...o acervo por si só não garante sua acessibilidade...



Nos últimos  meses, tenho visitado, quase que diariamente, o Arquivo Histórico de Porto Alegre com o  objetivo de pesquisar seu acervo. Neste período, tenho tido o prazer, para além da minha pesquisa, de observar seu funcionamento e a  importância para a Cidade como fonte de informação e conhecimento.

  Imagino que muitas pessoas desconheçam o trabalho que lá é feito, e por este motivo,  fiz questão de registrar aqui minhas impressões sobre o trabalho desenvolvido por seus funcionários, bem como a indiscutível importância do Arquivo como fonte  de  informação, preservação, conhecimento e reconhecimento da História.
     Como arquivista, sinto-me especialmente orgulhoso por termos acesso, com grande qualidade, aos documentos pertencentes ao acervo,ampliando a razão de existir dos  arquivos históricos que é tornar acessível a um maior número de pessoas suas referências do passado, na construção para o entendimento do futuro. Saliento,ainda, que o acervo por si só não garante sua acessibilidade, por isto é importante ressaltar a qualidade técnica dos seus funcionários, os quais proporcionam aos pesquisadores e demais visitantes, a eficácia e o bom atendimento para a conclusão das suas demandas.


Maurício Ramos     

Arquivista 



1 de jul de 2013

PESQUISA NO SÁBADO


Prezados(as) pesquisadores(as)


Conforme o cronograma de abertura   da Sala de  Pesquisa do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho  nos sábados,abriremos no dia 06 de julho, sábado próximo, se houver agendamento.


Horário:09 h às 13 h


Confirmar presença até 17h de quinta, dia 04 de julho próximo. 

Documentos Curiosos da Intendência de Porto Alegre (1892 – 1930)



       Caros leitores! Separamos três documentos curiosos encontrados no período da Intendência de Porto Alegre por tratarem de temas recorrentes ainda hoje!


      O primeiro trata sobre a abertura do comércio aos domingos, vejam só. Tema que achamos ser tão recente, porém já era tratado em 1892!

(...) imposto sobre casas comerciais que ofertarem transações aos domingos. (Alguns comerciantes solicitaram a liberação do comércio aos domingos.)




     O segundo documento apresentado na postagem desta semana é sobre a desordem pública causada pela... Guarda Nacional... no ano de 1894.

Passo as suas mãos, em próprio original, (...), recebido do comandante da Guarda Municipal se referindo a procedimento (...) da Guarda Nacional, que ontem, as 21h da noite, armados e em grupos de mais de 200, passaram pelo quartel d`aquela guarda provocando com insultos a mesma, perturbando a ordem pública, aterrorizando e assustando a população daquela localidade.”

      


  O terceiro e último documento trata sobre um “jogo de empurra” entre o governo estadual e a Intendência para ver quem assumiria os custos com a implementação da comarca do Judiciário na capital em 1895:

“Acusando recebido vosso oficio nº 1000 de ontem datado a que acompanha exemplar do projeto da organização judiciária (...) deve tal despesa correr por conta do Estado, (...), visto não tratar-se de serviço municipal.”





Boa semana!




   








 

© 2009AHPAMV | by TNB