26 de abr de 2017

SEMANA NACIONAL DE ARQUIVOS:UMA SEMANA NO ARQUIVO









6 de abr de 2017

Exposição conta a história do lixo do século XIX que se tornou acervo arqueológico de Porto Alegre





O Arquivo Histórico Municipal Moysés Vellinho (Av. Bento Gonçalves,1.129,Bairro Partenon) realiza de 30 de março até 30 de junho a exposição Cacos, ciscos e immundicies: Porto Alegre conta-se através do lixo.. Nela o visitante vai conhecer o curioso percurso dos depósitos de lixo determinados pela Câmara de Vereadores no século XIX e que,um século mais tarde,deram origem a sítios arqueológicos,no centro de Porto Alegre, que  ajudam a desvendar o modo de vida das populações que aqui viveram  há quase dois séculos. 
As atas originais do século XIX, mapas e objetos arqueológicos compõem a exposição. A entrada é gratuita. A visitação é aberta ao público, podendo ser também agendada para grupos através do fone 3289.8269.
Nas primeiras décadas do século XIX, o lixo produzido na pacata Porto Alegre já era preocupação por parte do poder público. Viajantes como Saint Hilaire descrevem a sujeira recorrente tanto nos pátios das casas, como nas calçadas.
Em 1837, a Câmara estabelece dez áreas para depósito de lixo, trechos determinados na orla do Guaíba. Essas áreas foram aterradas posteriormente: Praça Paraíso - década de 1840; Largo da Forca,locais em frente ao antigo Mercado e onde hoje se localiza o Paço Municipal - década de 1850.
Mais de um século mais tarde, a arqueologia urbana em Porto Alegre redescobre o lixo do século XIX existente no subsolo do Centro Histórico, em razão de obras da própria Prefeitura.
Peças em louça, cerâmica, metal, couro, vidro e restos alimentares, entre outros, compõem uma riquíssima coleção originada das práticas de descarte tradicionais e das políticas públicas sobre o lixo no século XIX. Revelam-nos aspectos do cotidiano de seus habitantes do passado
Essa exposição foi desenvolvida no curso de Museologia da UFRGS e faz parte da programação da Virada Sustentável 2017.


SERVIÇO:
Atividade: Exposição Cacos, ciscos e immundicies: Porto Alegre conta-se através do lixo
Período: 30 de março A 30 de junho de 2017.
Horário de visitação: de segunda a sexta das 8h30min às 17h30min (sem fechar ao meio dia)
Local: Arquivo Histórico Municipal Moysés Vellinho (Av. Bento Gonçalves, 1.129, Bairro Partenon)
Realização: Secretaria da Cultura de Porto Alegre
Informações e agendamentos através do fone 3289.8269
ENTRADA FRANCA




19 de dez de 2016

MENSAGEM DE FIM DE ANO


7 de dez de 2016

Serviços Públicos de Porto Alegre: Guia de documentos do Brasil Colônia e Império/Acervo de Anais e Catálogos do Arquivo Histórico Municipal Moysés Vellinho

     

    O Centro de Pesquisa de Histórica compartilhou a seguinte publicação on-line : Serviços Públicos de Porto Alegre: Guia de documentos do Brasil Colônia e Império/Acervo de Anais e Catálogos do Arquivo Histórico Municipal Moysés Vellinho.

O livro está disponível no link: Download

2 de dez de 2016

CONCERTO DA BANDA MUNICIPAL:100 ANOS DO SAMBA-HOMENAGEM À SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRA





Mais uma edição do Música no Arquivo ocorreu no último sábado, 26 de novembro. A programação contou com o concerto da Banda Municipal “100 anos do samba – Homenagem à Semana da Consciência Negra”,em que foram apresentados clássicos da música brasileira como Trem das Onze de Adoniran Barbosa, Homenagem ao Malandro de Chico Buarque, Samba da Minha Terra de Dorival Caymmi, Chega de Saudade de Vinícius de Moraes e Tom Jobim, entre outros.
Além da apresentação musical, foram realizadas visitas guiadas ao Arquivo e à exposição, Ritmos e melodias: os negros e a música em Porto Alegre nos séculos XIX e XX.
Na exposição, foram apresentados documentos que trazem um pouco da história da música negra na Cidade. Foram selecionados documentos como Atas da Câmara Municipal, periódicos, livros e também exemplares do acervo histórico da Banda Municipal de Porto Alegre como partituras, fitas cassetes e VHS, CDs, discos de vinil. Essa documentação, que está ainda em fase de organização, tornar-se-á seguramente fonte para muitas pesquisas dentro dessa temática.







VISITAS GUIADAS





EXPOSIÇÃO














1 de dez de 2016

Manifesto do Grupo de Pesquisa CNPq UFSM Ged/A contra o PLS nº 146/2007


   O grupo de pesquisa CNPq UFSM Ged/A, responsável por desenvolver pesquisas em Gestão Arquivística de Documentos Digitais e Preservação Digital vem a público manifestar-se contra o Projeto de Lei do Senado nº 146/2007 (PLS n°146/2007), que dispõe sobre a digitalização e arquivamento de documentos emmídia ótica ou eletrônica, e dá outras providências, o qual foi desarquivado e voltoua tramitar em 2015, sendo encaminhado à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) em 22/11/2016. O referido projeto, em suma, propõe aequivalência de documentos digitalizados aos respectivos originais, possibilitando inclusive, que documentos originais que não sejam destinados à guarda permanente, sejam eliminados após o processo de digital.

  O que imediatamente destaca-se neste projeto, é não levar em conta umadas principais características de um documento arquivístico: ser autêntico, eportanto, ter respaldo para comprovar fatos e ações, garantir confiança dastransações e decisões efetivadas pela administração pública, além de comprovarque as informações registradas não foram adulteradas. Ao se propor que se digitalize um documento, e em seguida, que o respectivo original seja eliminado,incorre em destruir a garantia de autenticidade das informações registradas,extinguindo por completo a possibilidade de verificar a autenticidade do documentodigitalizado, caso se levante a hipótese de alterações indevidas. O documentodigitalizado não é capaz de garantir a autenticidade do respectivo original, pois os requisitos de validade e autenticidade encontram-se apenas no documento original.Portanto, destruir o original significa destruir a autenticidade do documento.

  A proposição do PLS nº 146/2007 de certa forma implica em uma tentativa de destruir os sólidos referenciais e princípios da Arquivística e da Diplomática,colocando em risco os elementos de fixidez que garantem a presunção de autenticidade dos documentos. Eliminando-se os originais,extingue-se a possibilidade de aplicar a análise forense ou diplomática forense, que só pode ser realizada através da verificação dos elementos intrínsecos e extrínsecos do
documento genuíno.

21 de nov de 2016

ARQUIVO HISTÓRICO RECEBE OFICIALMENTE DOCUMENTAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CERVEJARIA BRAHAMA

      No último dia 03 de Novembro, o Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho formalizou o recebimento da doação de conjunto documental da antiga Cervejaria Brahma composto por aproximadamente 700 documentos, anteriores à revitalização dos imóveis para a instalação do shopping. O acervo é composto em sua maioria por plantas baixas, mas possui também uma série de desenhos técnicos de equipamentos industriais.

     Na solenidade o Sr. Eduardo Oltramari - Superintendente do Shopping Total, Sr. Roque Jacoby - Secretário Municipal da Cultura, o Sr. Luiz Antônio Bolcato Custódio - Coordenador da Memória Cultural, Sra. Rosani Feron - Diretora do Arquivo Histórico Moysés Vellinho e a Sra. Débora Regina Magalhães da Costa - Diretora da Equipe do Patrimônio Hist - EPAHC - assinaram oficialmente o Termo de Doação. O evento também teve o comparecimento de servidores do Arquivo, EPAHC e Coordenação da Memória.

o Sr. Eduardo Oltramari - Superintendente do Shopping Total-
assina o Termo de Doação.


   Da esquerda para a direita:Sr.Luiz Antônio Bolcato Custódio, Sra. Débora Regina Magalhães da Costa,Sr. Roque Jacoby e  Sra. Rosani Feron.
  A  Sra. Rosani Feron - Diretora do Arquivo Histórico Moysés Vellinho - assina o Termo de Doação.





             Exemplares da documentação  recebida pelo AHPAMV.
 

© 2009AHPAMV | by TNB