3 de out de 2018

Três instituições públicas de memória cultural com hemerotecas em Porto Alegre - RS.

Prezados (as) pesquisadores (as),

   Conheçam três diferentes tipos de instituições públicas de memória cultural, em Porto Alegre - RS, que compõem as "Ciências da Informação": Arquivos, Bibliotecas e Museus; e que, apesar de diferentes entre si, em seus objetivos, trabalhos técnicos e formas de operação e atendimento, possuem em comum, o fato de possuírem, entre seus fundos documentais, "Hemerotecas” (Coleções de jornais, revistas e almanaques).

   Esses documentos jornalísticos custodiados nessas instituições de memória cultural, muitos publicados pelas primeiras empresas de jornalismo em nosso estado ou em nossa capital, conforme a instituição, compõem o fundo documental principal de seu acervo ou são fundo documental complementar ao apoio dos objetivos institucionais. 

         “ Certamente, o jornalista Hippólyto José da Costa, “Patrono da Imprensa Brasileira” que, quando vivia no exílio em Londres na Inglaterra, fundou em 1808, o combativo Correio Braziliense ou Armazem Literario, não imaginava o quanto do seu ofício de “periodista”, auxiliaria os historiadores brasileiros na busca da reconstituição dos fatos históricos e na interpretação da História do Brasil. 

          Conforme estudiosos sobre o tema da História da Imprensa porto-alegrense, o primeiro jornal a circular na capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, é o Diário de Porto Alegre, pequeno jornal editado em primeiro de junho de 1827, marcando o início da “primeira fase do jornalismo porto-alegrense” e também da História da Imprensa no Rio Grande do Sul. ” (Catálogo da Hemeroteca do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho – AHPAMV)


    Assim, essas três instituições públicas de memória cultural, em Porto Alegre, detentoras de hemerotecas cujos periódicos datam dos séculos XIX, XX e XXI em seu conjunto se complementam e preservam os primórdios da história da Imprensa porto-alegrense e gaúcha:


1) Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho – AHPAMV


Endereço: Av. Bento Gonçalves, 1129 - Bairro Santo Antônio - Porto Alegre, RS
Horário de atendimento: das 08h30min às 17h30min, de segunda a sexta-feira.
Contato: (51) 3289-8282
Blog: http//: www.ahpoa.blogspot.com

Exemplos de periódicos que o AHPAMV possui:

A Federação: Edições de 1892 a 1937
Correio do Povo: Edições de 1925 a 1987
Revista do Globo: Edições de 1945 a 1957.


Obs.: O Arquivo Histórico de Porto Alegre disponibiliza o catálogo de sua hemeroteca em seu “blog”:



2) Biblioteca Ministro Moysés Vellinho (Tribunal de Contas do Estado - RS)


Endereço: Rua Bento Martins, nº 168, térreo - Centro Histórico - Porto Alegre, RS
Horário de atendimento: das 10h às 17h30min, de segunda a sexta-feira.
Contatos:
(51) 3214-9610 para atendimento sobre livros, periódicos e jurisprudência de outros tribunais
(51) 3214-9611 para consulta sobre legislação
(51) 3214-9614 para consulta sobre legislação municipal
A biblioteca é aberta ao público para consulta local.


3) Museu da Comunicação do RS - Hipólito José da Costa (Patrono da Imprensa Brasileira)


Endereço: Rua dos Andradas, 959 - Centro, Porto Alegre – RS
Contato: (51) 3224 4252



Breve histórico sobre os homenageados nos nomes das Instituições



Moysés Vellinho (Santa Maria, 6 de janeiro de 1902 — Porto Alegre, 27 de agosto de 1980) foi um escritor, jornalista e político brasileiro.


Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. Integrou o Conselho Federal de Cultura, Rio de Janeiro, de 1967-70. Membro da Academia Portuguesa de Cultura Internacional. Foi redator do jornal ‘A Federação” e escreveu para o jornal “Correio do Povo”, ambos de Porto Alegre. Foi deputado na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, 1935-37; diretor da revista Província de São Pedro, Porto Alegre, 1945-57 e Ministro do Tribunal de Contas do Estado.

Historiador, escritor, ensaísta e crítico literário. Vinculado à vertente lusitana da historiografia riograndense (junto com Aurélio Porto, Souza Docca, Othelo Rosa), dedicou-se a defender a origem e a evolução cultural luso-brasileira do Rio Grande do Sul.

Estudou o gaúcho brasileiro e sua importância no estabelecimento das fronteiras nacionais. Distingue o gaúcho brasileiro do gaúcho platino, atribuindo menor influência indígena e africana ao primeiro (distinção polêmica que gera a acusação de fazer apologia de supremacia étnica).

Para ele, cada região do Brasil apresenta necessariamente suas características ou acento próprios, sem que daí decorram quaisquer riscos para a realização de um destino comum e solidário. Concorda com o sociólogo Paulo Prado em que a salvaguarda de nossa unidade territorial está na legítima expansão dos regionalismos.

Em seu ano de falecimento, 1980, foi homenageado como patrono da Feira do Livro de Porto Alegre.

O Arquivo Histórico de Porto Alegre foi batizado Moysés Vellinho em sua homenagem.



Hipólito José da Costa (Colônia do Sacramento, 13 de agosto de 1774 — Londres, 11 de setembro de 1823) foi um jornalista, maçom e diplomata brasileiro, patrono da cadeira 17 da Academia Brasileira de Letras.

Nascido na Colônia do Sacramento, então domínio da Coroa portuguesa (hoje pertencente ao Uruguai), Hipólito era filho de família abastada do Rio de Janeiro.

Após obter a nacionalidade inglesa e a condição de estrangeiro neutralizado, um estrangeiro residente com alguns direitos políticos, passou a editar regularmente, de Londres, aquele que é considerado o primeiro jornal brasileiro: o Correio Braziliense ou Armazém Literário, que circulou de 1 de junho de 1808 a 1823 (29 volumes editados, no total).

Morreu em 1823, sem chegar a saber que fora nomeado cônsul do Império do Brasil em Londres. No Brasil é considerado o patrono da imprensa. Em Porto Alegre foi homenageado emprestando seu nome ao Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa. Estava sepultado em St. Mary the Virgin, em Hurley, condado de Berkshire; mas em 2001 seus restos mortais foram trasladados para Brasília. Atualmente seus restos mortais estão nos Jardins do Museu da Imprensa Nacional.




28 de set de 2018


Divulgação de Pesquisa
 

Prezado(a)s pesquisador(a)es,

      O Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho / AHPAMV participa na divulgação do lançamento da página na internet da pesquisa dos professores Regina Xavier, do Departamento de Historia/UFRGS e Felipe Bohrer, professor e pesquisador, doutorando em Historia/UFF: www.escravidaoeliberdade.com.br ; disponível gratuitamente.

      Na referida página na internet aproveitem para consultar ainda a coletânea que os professores publicaram no início deste ano intitulada “Do tráfico ao Pós-Abolição” . Ali também se pode consultar as entrevistas, os documentários e as fotos dos “Encontros de Escravidão e Liberdade”, os textos dos trabalhos ali apresentados, entre outros materiais.

Contatos dos professores:

Regina Xavier e Felipe Bohrer

Prof. Departamento de Historia/UFRGS - regx17@gmail.com

Prof e Pesquisador, doutorando Historia/UFF - feliperbohrer@yahoo.com.br


Abraços,

Equipe AHPAMV

17 de set de 2018





O Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho homenageia a todo(a)s gaúcho(a)s, em razão do feriado de 20 de setembro 
(Data de início da Revolução Farroupilha)


       Em 1930 o Arquivo e museu Histórico do Rio Grande do Sul fez cópias das edições dos jornais da República Rio-Grandense, assim como do projeto de Constituição da República Rio-Grandense, nas “officinas graphicas da Livraria do Globo”, num projeto chamado “Documentos Interessantes” para o estudo do memorável decênio 1835 – 1845, que compreende o tempo de duração da chamada “Guerra dos Farrapos”, constituído de dois volumes encadernados e os doou ao Arquivo Histórico de Porto Alegre.

      Assim, o Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho vem divulgar as imagens das edições de dois dos jornais da República Rio-Grandense: o jornal "O POVO", edição de 01 de setembro de 1838 e do jornal "Estrella do Sul", edição de 15 de março de 1843, na qual foi publicada a proclamação da República Rio-Grandense por Bento Gonçalves. Apresentamos, também, as imagens da capa e do preâmbulo do projeto de Constituição da República Rio-Grandense.

Um feliz 20 de setembro a todo(a)s gaúcho(a)s!

Equipe do AHPAMV


Apresentação do jornal “O Povo”


Capa do Jornal “O Povo”, edição de 01 de setembro de 1838.


Capa do Jornal "Estrella do Sul", edição de 15 de março de 1843.


Proclamação da República Rio-Grandense no jornal “Estrella do Sul” edição de 15 de março de 1843.


Capa do Projeto de Constituição da República Rio-Grandense


Preâmbulo do Projeto de Constituição da República Rio-Grandense

4 de set de 2018


BNDES anuncia edital de R$ 25 milhões para projetos de segurança e prevenção contra incêndio de museus


Anúncio foi feito pelo governo federal em Brasília, após reunião para discutir a recuperação do Museu Nacional, destruído em um incêndio no último domingo (2).


Por Guilherme Mazui, G1, Brasília
04/09/2018 13h03

https://g1.globo.com/politica/noticia/2018/09/04/bndes-anuncia-edital-de-r-25-milhoes-para-projetos-de-seguranca-e-prevencao-contra-incendio-de-museus.ghtml

3 de set de 2018


Nota do AHPAMV sobre o incêndio no Museu Nacional


A equipe do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho  solidariza-se com a equipe do Museu Nacional devido ao trágico incêndio ocorrido nas instalações da Instituição com a perda irreparável do acervo.

Em junho deste ano o Museu Nacional celebrou seus 200 anos.
A falta de investimentos do governo federal, governos estaduais e municipais nas instituições de memória que, em seu conjunto, preservam a história do povo em nossas cidades, estados e país, ocasiona tragédias como essa.

É necessário a efetiva manutenção de uma Política Pública de Preservação do Patrimônio Arquivístico, Biblioteconômico, Museológico e Arquitetônico nacional com a aplicação de recursos necessários para que estas perdas não se repitam. 


Equipe do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho

30 de ago de 2018

Projeto Desarquivando:
Porto Alegre e seus Bairros



No dia 14 de Agosto de 2018, o Arquivo Histórico de Porto Alegre reuniu 4 de seus pesquisadores para falar um pouco sobre o fruto de suas pesquisas com a utilização do acervo da instituição.
O Projeto Desarquivando é uma iniciativa do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho, para valorizar o pesquisador e divulgar o acervo de sua documentação.

Os bairros abordados foram: 4º Distrito, Teresópolis, Partenon e Menino Deus.

Esta palestra foi dividida em 5 módulos - o primeiro segue no link abaixo:


20 de ago de 2018


AHPAMV disponibiliza Catálogo de Documentos e as imagens de documentos de fundo documental custodiado no Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa


O Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho - AHPAMV disponibiliza o Catálogo de Documentos Manuscritos Avulsos, referentes à Capitania do Rio Grande do Sul, do período de 1732 a 1825, existentes no Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa; Coordenação executiva da professora Ana Regina Berwnager da Graduação em Arquivologia da UFRGS. As imagens digitalizadas dos referidos documentos estão disponíveis para consulta e cópia local no AHPAMV.


 

© 2009AHPAMV | by TNB