21 de jul. de 2020


Da série - As Instituições de Saúde Porto-Alegrenses:


Rita Lobato, a  Primeira Médica formada do Brasil



Fonte Wikipédia


                                                                                                          Fernanda Sayão Lobato Teixeira


Em um mundo onde o machismo ainda é muito presente, é essencial, enquanto pesquisadores da memória, destacarmos os feitos das mulheres na História, principalmente em áreas pelas quais as mesmas sempre foram excluídas, e que com sua luta por igualdade, nunca desistiram de seus direitos e principalmente sonhos.

Natural de São Pedro do Rio Grande, Rita Lobato Velho Lopes foi a primeira mulher formada em medicina no Brasil. Nasceu em 09 de junho de 1866 e vinha de origem abastada, filha de Rita Carolina Velho Lopes e Francisco Lobato que era um rico estancieiro e comerciante de charque gaúcho, alem de ter dois irmão.

Desde muito cedo, Rita mostrava interesse em ser médica, algo que era impossível para a época, já que somente homens poderiam vestir um jaleco e salvar vidas. Todavia, com a reforma Leôncio de Carvalho aprovada em abril de 1879, ela se viu diante da grande oportunidade. Sempre foi considerada uma aluna muito aplicada, apresentando ótimas notas.

 Anos depois, em 1884, Rita e sua família foram para o Rio de Janeiro, onde seus irmãos estavam começando a mostrar interesse pela vida acadêmica, isso despertou o seu desejo de ser médica, assim se matriculando na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e permanecendo por 2 anos na instituição.

Devido a uma discussão entre seus irmãos e os professores a respeito da reforma, seu pai, Francisco Lobato, decidiu sair da capital carioca e levar sua família para a Bahia, onde Rita iria continuar seus estudos, obtendo matricula no mês de maio de 1885.

Sua chegada na faculdade da Bahia foi cordial, sendo admirada pelos professores e colegas. Apresentou excelentes notas em disciplinas de Física Medica, Anatomia Geral, Fisiologia Patológica, Toxicologia.  Sua tese de doutorado com o titulo O Paralelo entre os métodos preconizados na operação cesaariana foi apresentada em 30 de setembro e aprovada em 24 de novembro do mesmo ano, sendo considerada com grande honra, a primeira mulher formada em medicina do país.

 Casou-se com Dr. Antônio Maria Amaro de Freitas em 18 de julho de 1889 em Rio Pardo, pelo qual tiveram uma filha, Isis Lobato Freitas.

Em 1910, Rita voltou para a sua vida médica após concluir cursos especializastes na Argentina, e retornou para sua cidade natal, pela qual forneceu consultas gratuitas até 1925, em clinicas que eram chamadas de Clínicas de Senhoras. Aos 59 anos, decidiu encerrar sua carreira médica e doou seus equipamentos para hospitais.

Após a morte de seu marido, Rita se envolveu nas causas do movimento feminista, principalmente pelo direito ao voto, acompanhando diversas vitórias mais a frente. Filiou-se ao partido Libertador, em 1934, e em 21 de agosto daquele mesmo ano, foi eleita a primeira mulher a ocupar o cargo de vereadora de Rio Pardo.

Referencias:
CIÊNCIA E CULTURA. Primeira médica saiu da Famed em 1887. Disponível em: http://www.cienciaecultura.ufba.br/agenciadenoticias/noticias/primeira-medica-saiu-da-instituicao-em-1887/
COSTA, Hebe A. Elas, as Pioneiras do Brasil. A Memorável saga dessas Mulheres. São Paulo: Scortecci, 2005. https://books.google.com.br/books?id=WW_YBAAAQBAJ&printsec=frontcover#v=onepage&q=Rita%20Lobato&f=false
MUSEU DE HISTÓRIA MEDICINA (MUHM). Rita Lobato: primeira mulher a formar-se em medicina Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=TbHmDDL8_qo
WIKIPEDIA, A Enciclopédia Livre. RITA LOBATO. Disponível em:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Rita_Lobato


0 comentários:

Postar um comentário

 

© 2009AHPAMV | by TNB