3 de out. de 2018

Três instituições públicas de memória cultural com hemerotecas em Porto Alegre - RS.

Prezados (as) pesquisadores (as),

   Conheçam três diferentes tipos de instituições públicas de memória cultural, em Porto Alegre - RS, que compõem as "Ciências da Informação": Arquivos, Bibliotecas e Museus; e que, apesar de diferentes entre si, em seus objetivos, trabalhos técnicos e formas de operação e atendimento, possuem em comum, o fato de possuírem, entre seus fundos documentais, "Hemerotecas” (Coleções de jornais, revistas e almanaques).

   Esses documentos jornalísticos custodiados nessas instituições de memória cultural, muitos publicados pelas primeiras empresas de jornalismo em nosso estado ou em nossa capital, conforme a instituição, compõem o fundo documental principal de seu acervo ou são fundo documental complementar ao apoio dos objetivos institucionais. 

         “ Certamente, o jornalista Hippólyto José da Costa, “Patrono da Imprensa Brasileira” que, quando vivia no exílio em Londres na Inglaterra, fundou em 1808, o combativo Correio Braziliense ou Armazem Literario, não imaginava o quanto do seu ofício de “periodista”, auxiliaria os historiadores brasileiros na busca da reconstituição dos fatos históricos e na interpretação da História do Brasil. 

          Conforme estudiosos sobre o tema da História da Imprensa porto-alegrense, o primeiro jornal a circular na capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, é o Diário de Porto Alegre, pequeno jornal editado em primeiro de junho de 1827, marcando o início da “primeira fase do jornalismo porto-alegrense” e também da História da Imprensa no Rio Grande do Sul. ” (Catálogo da Hemeroteca do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho – AHPAMV)


    Assim, essas três instituições públicas de memória cultural, em Porto Alegre, detentoras de hemerotecas cujos periódicos datam dos séculos XIX, XX e XXI em seu conjunto se complementam e preservam os primórdios da história da Imprensa porto-alegrense e gaúcha:


1) Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho – AHPAMV


Endereço: Av. Bento Gonçalves, 1129 - Bairro Santo Antônio - Porto Alegre, RS
Horário de atendimento: das 08h30min às 17h30min, de segunda a sexta-feira.
Contato: (51) 3289-8282
Blog: http//: www.ahpoa.blogspot.com

Exemplos de periódicos que o AHPAMV possui:

A Federação: Edições de 1892 a 1937
Correio do Povo: Edições de 1925 a 1987
Revista do Globo: Edições de 1945 a 1957.


Obs.: O Arquivo Histórico de Porto Alegre disponibiliza o catálogo de sua hemeroteca em seu “blog”:



2) Biblioteca Ministro Moysés Vellinho (Tribunal de Contas do Estado - RS)


Endereço: Rua Bento Martins, nº 168, térreo - Centro Histórico - Porto Alegre, RS
Horário de atendimento: das 10h às 17h30min, de segunda a sexta-feira.
Contatos:
(51) 3214-9610 para atendimento sobre livros, periódicos e jurisprudência de outros tribunais
(51) 3214-9611 para consulta sobre legislação
(51) 3214-9614 para consulta sobre legislação municipal
A biblioteca é aberta ao público para consulta local.


3) Museu da Comunicação do RS - Hipólito José da Costa (Patrono da Imprensa Brasileira)


Endereço: Rua dos Andradas, 959 - Centro, Porto Alegre – RS
Contato: (51) 3224 4252



Breve histórico sobre os homenageados nos nomes das Instituições



Moysés Vellinho (Santa Maria, 6 de janeiro de 1902 — Porto Alegre, 27 de agosto de 1980) foi um escritor, jornalista e político brasileiro.


Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. Integrou o Conselho Federal de Cultura, Rio de Janeiro, de 1967-70. Membro da Academia Portuguesa de Cultura Internacional. Foi redator do jornal ‘A Federação” e escreveu para o jornal “Correio do Povo”, ambos de Porto Alegre. Foi deputado na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, 1935-37; diretor da revista Província de São Pedro, Porto Alegre, 1945-57 e Ministro do Tribunal de Contas do Estado.

Historiador, escritor, ensaísta e crítico literário. Vinculado à vertente lusitana da historiografia riograndense (junto com Aurélio Porto, Souza Docca, Othelo Rosa), dedicou-se a defender a origem e a evolução cultural luso-brasileira do Rio Grande do Sul.

Estudou o gaúcho brasileiro e sua importância no estabelecimento das fronteiras nacionais. Distingue o gaúcho brasileiro do gaúcho platino, atribuindo menor influência indígena e africana ao primeiro (distinção polêmica que gera a acusação de fazer apologia de supremacia étnica).

Para ele, cada região do Brasil apresenta necessariamente suas características ou acento próprios, sem que daí decorram quaisquer riscos para a realização de um destino comum e solidário. Concorda com o sociólogo Paulo Prado em que a salvaguarda de nossa unidade territorial está na legítima expansão dos regionalismos.

Em seu ano de falecimento, 1980, foi homenageado como patrono da Feira do Livro de Porto Alegre.

O Arquivo Histórico de Porto Alegre foi batizado Moysés Vellinho em sua homenagem.



Hipólito José da Costa (Colônia do Sacramento, 13 de agosto de 1774 — Londres, 11 de setembro de 1823) foi um jornalista, maçom e diplomata brasileiro, patrono da cadeira 17 da Academia Brasileira de Letras.

Nascido na Colônia do Sacramento, então domínio da Coroa portuguesa (hoje pertencente ao Uruguai), Hipólito era filho de família abastada do Rio de Janeiro.

Após obter a nacionalidade inglesa e a condição de estrangeiro neutralizado, um estrangeiro residente com alguns direitos políticos, passou a editar regularmente, de Londres, aquele que é considerado o primeiro jornal brasileiro: o Correio Braziliense ou Armazém Literário, que circulou de 1 de junho de 1808 a 1823 (29 volumes editados, no total).

Morreu em 1823, sem chegar a saber que fora nomeado cônsul do Império do Brasil em Londres. No Brasil é considerado o patrono da imprensa. Em Porto Alegre foi homenageado emprestando seu nome ao Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa. Estava sepultado em St. Mary the Virgin, em Hurley, condado de Berkshire; mas em 2001 seus restos mortais foram trasladados para Brasília. Atualmente seus restos mortais estão nos Jardins do Museu da Imprensa Nacional.




0 comentários:

Postar um comentário

 

© 2009AHPAMV | by TNB