26 de nov de 2014

DOSSIÊ PLANO DE URBANIZAÇÃO PRAIA DE BELAS


      Na década de 1950, houve grande preocupação ( fruto dos planos de urbanização desde o de 1914, de Moreira Maciel, no governo José Montaury)em urbanizar a Praia de Belas, torná-la uma região residencial, com abertura de ruas, aterros, construção de prédios públicos(como escolas e hospitais),saneamento,abastecimento etc. Para isso, foi constituída uma parceria do governo estadual de Ildo Menegheti com o governo municipal de Leonel Brizola para a doação de terreno   do estado do RGS para o município de Porto Alegre.
  Mas a história começa antes, no governo municipal de Ildo Menegheti,em 1950, quando ele   abriu concorrência  pública para execução da urbanização da Praia de Belas na base de um projeto já existente. No entanto, em 1951, o engenheiro Edvaldo Pereira Paiva,como Diretor do Planejamento Urbano, foi convocado a elaborar  um anteprojeto de urbanização da Praia de Belas e  da Av Beira-Rio. É ele quem nos conta a história,desde o início, em palestra,cuja versão impressa faz  parte  da documentação guardada no Fundo Documental Obras e Viação, do Acervo do Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho.

             O que diz Edvaldo  Pereira Paiva sobre a importância da urbanização da Praia de Belas:

    “O saneamento e urbanização dessa zona  tem sido,através de décadas,um desejo dos habitantes de nossa cidade, e diversos projetos têm se sucedido com essa finalidade, uns localizando ali a extensão do porto e outros caracterizando-a como zona de extensão residencial.”

Separata da Revista do D.P.M. Dezembro-1951





                   


       Alguns documentos  sobre o assunto:



Obras e Viação:


Livro de Atas da  Comissão da Praia de Belas-1959
Processo de doação do terreno para a abertura  da Av. Beira-Rio,contendo a minuta da escritura e a correspondência trocada entre os dois governos

Legislação:

Leis  1487/55 e  1657/56 e   seus respectivos projetos de lei

Cartografia:

Plantas  do projeto de urbanização



                   
                                     

































































Uma curiosidade:


A  ata da solenidade que marcou o início  das obras (13/9/1955) foi guardada, junto com jornais daquele dia, moedas e cédula da época, numa urna, que seria enterrada naquele local.No entanto,uma ata  de 1987  registra a abertura da urna  e revela o local onde  estava guardada:Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho. Depois de aberta a urna, o conteúdo  ficou sob a guarda da Instituição, disponível para pesquisa.
















0 comentários:

Postar um comentário

 

© 2009AHPAMV | by TNB